Apresentando Aquiles…

Vou começar contando como Aquiles foi parar em Tróia. Mas pra isso é preciso um longo flashback até a ilha de Ítaca, para conhecermos outro herói, Ulisses, que foi responsável por buscar o jovem Aquiles em seu reino e convencê-lo a lutar.

Ulisses era rei de uma ilhazinha não muito importante, mas era considerado um cara foda. Era protegido pela deusa Atena ( que também pode ser chamada de Minerva, ou Palas Atena, ou simplemente Palas, para nós que somos intimos), e considerado um excelente orador, um grande embaixador. Era sempre enviado para tentar resolver as coisas com diplomacia. Quando o príncipe Troiano Páris, levou a bela Helena para viver com ele em Tróia, foi esse diplomático senhor que acompanhou o esposo abandonado, Menelau, até a cidade onde a esposa estava, para pedir amistosamente que o rei a devolvesse. Mas isso não aconteceu, é claro.

Assim, todos os reis gregos, unidos por uma promessa tola que fizeram a Menelau ( e que outro dia eu conto melhor), foram convocados para ir até lá e pagar a mulher ( e os tesouros que a mesma havia levado consigo) na marra. Alguns não tinham nada a ver com a promessa, o que é o caso de Aquiles, mas foram convocados do mesmo jeito.

Ulisses, que é considerado o “espertinho” da Grécia, resolveu , literalmente, se fazer de louco pra não ir à Guerra. Saiu semeando sal nas próprias terras. Mas a alcunha de “astuto Ulisses” não lhe valeu muito nessa hora. Foi logo desmacarado e obrigado a lutar.

Sua primeira missão: Trazer o jovem Aquiles para guerrear, pois sem ele as chances dos gregos diminuiam significativamente. O que nos faz imediatamente supor que o cara era o fodão da história. E era mesmo, mas não como você viu no cinema.

Se você, que assistiu Tróia, estiver pensando, “já vi esse filme, ele vai lá e convence o Brad Pitt porque o cara era um baita orgulhoso”, está muito enganado. Porque não foi nada disso. Alias, foi bem mais engraçado.

Eu até deixarei que você imagine um Aquiles parecido com o Brad Pitt, pra facilitar, mas com algumas ressalvas. Imagine-o sim, louro, forte e cabeludo, mas, o mais importante, com seus 14 aninhos. Isso mesmo. Quando Aquiles foi convocado para a guerra, não tinha nem barba na cara.

Mas como assim? Ele não era o fodão? Você deve estar se perguntando e eu respondo. Era!

O cara é filho de uma deusa chamada Tétis, que o banhou no rio Estige para torná-lo invulnerável. Seu pai era Peleu, rei da Ftia, que era filho de Zeus. Deu pra entender? E tem mais, além de tudo foi educado pelo Centauro Quíron, que o ensinou, incluisve a lutar. E dizem que o garoto era tão psicipata desde cedo, que o centauro tinha que lembra-lo sempre que se ele o matasse acabava a brincadeira.

Quando os rumores de guerra começaram a se espalhar, Aquiles já era rei da Ftia, pois Peleu havia morrido. Suas armas haviam sido feitas pelo próprio Hefésto ( que a grosso modo é o deus do fogo e da forja), e dadas a seu pai no dia de suas bodas ( onde alias rolou uma treta que é a raíz de toda a encrenca- o episódio do pomo da discórdia- que eu conto outro dia).

Acontece que nenhuma mãe vai querer o filho de 14 anos na guerra, mesmo sabendo que ele é “o cara”. Principalmente se existe uma predição que afirma que ele não vai voltar. Então ela resolveu esconder o cara no gineceu. Uma espécie de Colégio Católico pra Moças.

– Aquiles, você tem que vestir essas roupas e passar uns dias no Gineceu.
-Tá maluca mulher? Lá só tem menina e isso são roupas de menina.
-Não discute, você tem que ir e acabou.
– Eu não vou, sou o Rei da Ftia e não vou.
– Se você não for eu te coloco de castigo. Uma mês sem lança. Pior, uma semana sem matar ninguém!
– Poxa, aí é golpe baixo!

Então vai o mocinho se esconder. Agora, mesmo sendo tão jovem, imagine o guerreiro, vestido de mulher, de braços cruzados com a maior cara de quem tá puto.

Chegam Ulisses e outros gregos.

– Bela Rainha, gostariamos de falar com Aquiles, pode chamá-lo, por favor?
-Ah, infelizmente não vai dar.
-Como assim, não vai dar?
-É que não sei por onde ele anda. Saiu pra caçar e não voltou, há três dias.
– Como não voltou? Não estás preocupada?
-Porque deveria? Ele é Aquiles. Não é qualquer um. Além do mais, me disseram que ele estava na companhia de umas mulheres. Sabe como é, né, nessa idade é importante deixar livre.
– Mas e a guerra? A Grécia precisa dele!
-Que pena, não posso fazer nada.
-Então a gente vai esperar.
-(DROGA!!)

No dia seguinte as mocinhas brincavam no quintal do Gineceu.

– Vocês viram que loirinha esquisita aquela ali?
-É. Não se mistura com as outras e tem cara de psicopata.
Então, Ulisses fez jus à sua alcunha de astuto e resolve atacar o gineceu. E a menininha esquisita foi a primeira a pegar uma lança e partir pra cima de todo mundo.
-Calma Aquiles, somos todos gregos, foi só uma brincadeirinha.
-Ah, droga. Quando é que vou poder matar uma meia dúzia de inimigos?

Outra versão diz que Ulisses se vestiu de vendedor e no meio das jóias colocou espadas. Enquanto a mulherada enloquecia com brincos e tiaras, a menina esquisita queria comprar lanças e espadas.

E assim, o jovem Aquiles convoca seu exercito e parte com suas naus em direção à Tróia.

Anúncios

Um pensamento sobre “Apresentando Aquiles…

Diz Aí:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s